Prefeitura de Encruzilhada do Sul 

Prefeituara de Encruzilhada do Sul



Acesso Rápido

Notícias » Encruzilhadenses clamam por Segurança Pública

05/11/2015

 

Nos últimos dias, o assunto mais comentado pela comunidade tem sido a escalada da violência no município, o que acabou trazendo um profundo sentimento de insegurança geral. Assassinatos e assaltos à mão armada, entre vários outros tipos de ocorrência, aterrorizam os encruzilhadenses.

 

Já há algumas semanas, representantes dos setores público e privado se mobilizaram e criaram um grupo de trabalho que e tem realizado  encontros em busca de ações para reverter a atual situação. Na manhã dessa quarta-feira, 4,  os integrantes do grupo estiveram na Secretaria de Segurança Pública do RS. Eles foram recebidos pelo coronel  Jair Euclésio Ely, assessor direto do secretário  de Segurança, Wantuir  Francisco Brasil Jacini.

 

Inicialmente a prefeita Laíse Gorziza de Souza fez um  relato ao coronel Jair, sobre  os fatos que vem aterrorizando  os encruzilhadenses. Ela recordou, entre outros aspectos, o tráfico de drogas como fator que tem impulsionado outros tipos de crimes, a extrema carência do efetivo na Brigada Militar e, por último, a falta de titular na DP, eis que a delegada Luciana Peres Smith passou a desempenhar suas funções em Porto Alegre. A prefeita foi bastante incisiva com o coronel Jair e disse:  “Estamos todos com muito medo, desesperados, sem chão e temendo pelo futuro se ações fortes não forem tomadas pelos órgão de segurança para trazer de volta  a normalidade para nossa comunidade”.

 

 Já o presidente da CDL, José Antonio Carvalho de Freitas (Totonho),recordou que o efetivo da Brigada Militar no município é constituído por apenas onze pessoas, sendo que no mínimo deveriam ser trinta e três. Destes onze, quatro são designados para o policiamento no Presídio Estadual. Outros três devem se aposentar em seguida. Sobre a casa prisional, o presidente da CDL fez referência a superlotação com a frequente vinda de detentos perigosos da região de Buiá. Com relação ao comércio, o presidente da CDL afirmou que os lojistas já não conseguem trabalhar com tranquilidade: “Está instalado o terror em Encruzilhada do Sul. Até agora estamos perdendo para os bandidos. No comércio já não temos como trabalhar e a situação é insustentável”.

 

Por sua vez, a presidente da Câmara de Vereadores, Rosângela Maria Gemeli Nader disse que a população está indignada com os o nível de violência e insegurança. “Todos somos vítimas, não podemos esperar mais outra tragédia como o último assassinato no centro da cidade e os setores encarregados da segurança precisam agir”, apelou.

 

               CORONEL PROMETE MELHORAR A PRESTAÇÃO DO SERVIÇO

 Depois de ouvir as manifestações dos encruzilhadenses, o coronel Jair iniciou sua manifestação dizendo que “ a Secretaria de Segurança Pública é realmente, o local adequado para analisar as questões do setor e buscar as soluções”. Ao examinar  as estatísticas oficiais sobre  a violência no município, ele admitiu que  realmente os números mostram a existência do problema e disse, por várias vezes: “A comunidade encruzilhadense merece uma resposta e vamos melhorar a prestação de serviço no município”.

 

Com relação à vaga de titular na Delegacia de Polícia, o coronel Jair informou que no momento não existe a possibilidade do município contar com novo delegado de forma permanente. No entanto, se o delegado substituto que vem de Camaquã não conseguir realizar suas atividades no período que vem adotado, será levado a ele a determinação de estender o período de permanência em Encruzilhada do Sul.

 

 Sobre a falta de efetivo adequado na Brigada Militar, o representante da Secretaria de Segurança mostrou que antes da chamada das pessoas que passaram no último concurso, não há como ampliar o quadro. Ele sugeriu verificar se existem PMs naturais de Encruzilhada do Sul que atualmente trabalhem em outras cidades, e que desejam voltar para o município. Apenas desta forma, no momento, é possível ampliar o efetivo.

 

O coronel Jair incentivou o projeto que busca instalar as câmeras de videomonitoramento como ação que de  certa forma compensa a falta de efetivo. Ele informou que vai enviar um funcionário especializado no setor para realizar o levantamento das necessidades no município. O sistema sugerido por ele, além das imagens serem monitoradas no quartel da BM local, também são visualizadas na Secretaria em Porto Alegre. O investimento deve ser feito pela comunidade local, ficando o monitoramento com o Estado.

 

Com relação à disposição da prefeita Laíse Gorziza de Souza em custear as horas extras dos PMs visando aumentar o policiamento, ele disse não ser adequado por aspectos burocráticos do Estado. O coronel Jair estima que em breve o governo estadual volte a custear as horas extras.

 

 Uma das informações reveladas pelo coronel visando o combate ao crime no município são operações especiais que em breve ocorrerão em Encruzilhada do Sul. Ele colocou a Secretaria de Segurança á disposição dos representantes da comunidade para continuar o diálogo em busca de ações que possam trazer de volta o clima de tranquilidade ao município.

 

 A comitiva encruzilhadense era integrada pela prefeita Laíse Gorziza de Souza, secretário de Obras Alvino Silveira Machado, secretária de Indústria e Comércio Maria da Glória Oliveira Tutenhagen Lopes,  chefe de Gabinete Odilka de Freitas Soares, presidente da Câmara Rosângela Maria Gemeli Nader, presidente da CDL, José Antonio Carvalho de Freitas, presidente do Sindicato Rural Roberto Bruno Brito, assessor do deputado Jerônimo Görgen, Fernando Moraes e representantes da imprensa.

   

 

 

 

 

Telefones Úteis